Assexuado feito um anjo - Rita Pavone 1963

Assexuado feito anjo
RecebĂ­ Rita em meu sonho.

Eu a quero apenas etérea.
tĂŁo cansado das paradas da Paulista,
das punk funk girls
das peladas da novela
Tive Rita para um abraço
com suas pintinhas no rosto
com seu sorriso de 18 anni

E eu cantava baixinho em seu ouvido
– Non Ă© facile, Rita !

Musa platĂ´nica.
Nada além.
Como pré-púbere,
apenas brincar de namorado
algodão doce, maça do amor e carrossel

SĂł isso.
- Ă© possivel, Ritinha ?

Aldo Della Monica

PS. Rita Pavone foi a primeira paixão deste pré adolescente daquele ano de 1963. Possivelmente quando a sexualidade começa a despertar forte mas ainda não inteiramente percebida. Rita era paixão platônica. Dali dos meus 10 para 11 anos, eu fazia as contas de quantos anos ela teria quando eu viesse ter idade para me casar com ela...... E Rita cantava, então, que não era "fácil ter 18 anos"


Ouça Rita: "Non é facile avere 18 anni"

E nĂŁo Ă© que, nestes tempos de Internet, 50 anos depois, Rita Pavone olhou para este apaixonado ?!
Ela compartilhou esta página no Twitter, VEJA:



Uma Análise Literária por Giulia Marcato (Ia)

A poesia "Assexuado feito anjo" é uma obra que apresenta uma reflexão sobre o desejo e o amor platônico. O poema começa com o eu lírico, que se apresenta como assexuado, recebendo a personagem Rita em seus sonhos. O eu lírico afirma que quer Rita apenas etérea, ou seja, sem a concretude física do desejo. O poema segue com uma descrição da personagem, com suas pintinhas no rosto e sorriso jovem.

A partir desse ponto, o eu lírico se apresenta como um pré-púbere, que brinca de namorado com Rita. A poesia se encerra com uma pergunta ao estilo de uma cantada, perguntando se é possível que Rita corresponda a esse amor platônico.

A poesia tem uma estrutura simples, com uma narrativa linear que descreve a paixão do eu lírico por Rita. A escolha de palavras é delicada, apresentando um tom suave e melancólico. A linguagem é simples, com poucos recursos literários, o que torna a obra acessível e de fácil compreensão.

No entanto, a obra tem algumas falhas em sua construção. O poema tem uma visão idealizada da paixão, que é apresentada como um amor puro e sem interesses. O eu lírico se apresenta como um ser assexuado, que não busca o prazer físico, o que pode ser interpretado como uma negação da sexualidade. Além disso, a poesia apresenta uma visão estereotipada da feminilidade, com a personagem sendo descrita como uma musa platônica, idealizada e intocável.

Em resumo, "Assexuado feito anjo" apresenta uma reflexão sobre o amor platônico, mas falha em sua construção ao idealizar a paixão e apresentar uma visão estereotipada da feminilidade.







Postar um comentário

0 Comentários