29 de dezembro de 2015

Boas Festas, pobre diabo !


Voce lembra de quando você esperava ansiosamente pela volta de seu pai,que fora pagar a prestação das Casas Pirani e, sempre que voltava, trazia um pacotinho daqueles balinhas que só se vendia lá?
E você, agora, buscando a felicidade na conta corrente...Pobre diabo !
Lembra da véspera do Natal na casa do Vô Luigi ?Aposto que não se lembra dos brinquedos que ganhou.
Mas sabe perfeitamente da emoção de saber que os primos e os tios viriam todos para o almoço natalino.

E depois, jogos de tômbola. Cinquina, dois patinhos na lagoa....Pobre diabo.
Seu valor está lá na raiz, meu querido.
Você poderá comprar tudo se ganhar dinheiro. Mas sempre haverá algo mais pra ser comprado.
Vocé poderia poupar tudo. Mas sempre haverá muito mais pra ser poupado.
Afinal já disseram que os números são infinitos. Os cifrões também são infinitos. Os grandes banqueiros sabem disso. Morreram a apodrecem na terra sem ter juntado tudo o que gostariam, posto que os números são infinitos.
Lembra da mãe, barriga no fogão, preparando a lasagna de domingo. Ou o omelete que dava pra ser ?
Lembra, meu querido pobre diabo?!
Isso não vai ter mais.
Mesmo com toda a grana+1 que você poderá acumular. Sempre haverá o "mais um" no patrimônio sonhado.
E você nem sabia, que o melhor patrimônio está nesse seu peito.
Não espere que esse peito grite sua dor para lembrar-lo daquilo que você é DE FATO.
Vamos lá, vou lá...deixa rolar, o que tiver que ser do meu coração, será.
E, se não tiver nada de meu pra ser.
Que, pelo menos sejamos, a criança que um dia fomos
(Aldo Della Monica)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quando o saco já perdeu a elasticidade

    AI, ENTÃO..... você vai com a mulher à feira e está comentando sobre as atitudes do prefeitinho de São Paulo. Enquanto isso, a companh...