27 de outubro de 2015

...a mesma praça, o mesmo banco.... mas !

Eu sou um jovem dinossauro da era Éumabrasamorozóica. Aqueles tempos da mesma "praça, do mesmo banco, das mesmas flores, do mesmo jardim". Tempos em que se percebia de longe os enamorados, através dos olhares, das mãozinhas dadas, das bitoquinhas e abraços.... (claro que no escurinho de um automóvel tudo era ou poderia ser bem diferente).


Hoje, passeando na mesma praça encontrei "o mesmo banco, as mesmas flores, o mesmo jardim". Mas uma coisa chamou-me a atenção:
Pelos amassos, encoxadas, mãos nos peitos e alhures,que certos casais exibem, percebe-se de longe aqueles que estão no cio....
Viva a liberação sexual pública.... afinal, os cães e cadelas fazem isso, em público, sem nenhum constrangimento há milênios, né ?! 
Que se mandem tapar os olhinhos das criancinhas ainda inocentes do parquinho ao lado (evidentemente somente aquelas criancinhas com menos de 4 anos pois as demais, já não são tão purinhas.... já assistem as novelinhas da globo)

aldo della monica

Ouça o filme abaixo "A praça" com Ronnie Von



Nenhum comentário:

Postar um comentário