1 de janeiro de 1970

Maestro Della Monica - 1935

...Era verdade. Lá vinham os bravos artistas da "Pérola",
chefiados pelo Maestro Alfonso Della Monica.
Abriram lugar para eles e serviram-nos, sem demora.
Meia hora depois, já de barriga cheia,
os músicos começavam a afinar os instrumentos..."
Maestro Alfonso Della Monica
(do livro Belenzinho, 1910 de Jacob Penteado,


Maestro e violoncelista, Alfonso Della Monica liderava o grupo musical conhecido por Orquestra da Pérola. Juntamente com seus filhos e sobrinhos apresentava-se com sucesso em festas e bailes do início do século XX na região do Braz, Tatuapé, Belenzinho.

Italiano de nascimento, imigrou para o Brasil em 1876, aos 23 anos de idade.

ANARQUISTAS NO BELÉNZINHO

Sobre a fala de Alfonso durante uma palestra de um ideólogo italiano no Clube da Pérola no Belenzinho:
"... após um inflamado discurso do Prof. Edmondo Rossoni sobre a
necessária tomada do poder pelas classes obreiras, um velhinho magro, de
baixa estatura, com seu inseparável cachimbo de cano comprido à boca
pediu licença para formular uma pergunta, o que foi deferido na hora.

- Scusi, professore - começou o Maestro Alfonso - lei ha la scopeta?
- Scopeta?! Che vuole dire? - indagou, perplexo, Rossoni.
O velhinho fez um gesto com o indicador, como que puxando um gatilho.
- Ah! Le armi?
- Si, le armi.
- Bene, per ora, non abbiamo niente. Ma sapremo trovare le armi. Ma,
Maestro Alfonso Della Monica
perché mi domanda questo, caro compagno?
- Perché, professore, senza la scopeta, o le armi, come dice, nada feito.
- Ma come?!...
- Si, si! Se noi altri andremo a prendere il denaro é tutto il resto, i
ricchi si difenderano! Il goverto e il soldati li aiuteranno ! E allora?
Lei parla bene, carissimo professore, ma, senza la scopeta, nada feito


Dito isso, volveu as costas ao professor e lá se foi, sério, calmamente,
mamando no seu cachimbo "

Extraido do Livro "Belénzinho 1910" de Jacob Penteado, Editora Carrenho Editorial



SUSTO NO CEMITÉRIO DA 4a. PARADA

Alfonso comprou uma sepultura no Cemitério do Brás, hoje conhecido como cemitério da Quarta Parada. Sua esposa, Rosa, morrera alguns anos atrás, vítima da gripe espanhola e havia sido sepultada no cemitério da Consolação. E não havia outro fato urgente que justificasse a aquisição fúnebre.
Conta Matheus Della Monica, um de seus netos, que ele colocara uma foto sua na capelinha do jazigo e, de vez em quando, ia lá e ficava olhando para a foto.
Ao vê-lo, uma senhora que estava cuidando de uma sepultura próxima chegou até ele e perguntou:
- Esse senhor da foto, que está sepultado aqui é tão parecido com o Sr... por acaso era seu irmão gêmeo?
- Não minha Sra., sou eu mesmo !
Dá pra imaginar o susto que aquela senhora deve ter levado.....

(em Entrevista com o neto Mateus Della Monica, pai de Ida)

CONTESTAÇÃO A IMPOSTO DA PREFEITURA

Citação sobre Alfonso Della Monica em um Estudo Jurídico:

O caso do serralheiro Affonso della Mônica fornece outro exemplo de requerimento com uma rica argumentação, que em sua eloqüência até mesmo foge aos padrões desta documentação:

"Diz Affonso della Mônica, morador à Av. da Intendência n° 458, que sentindo-se agravado com o lançamento feito pelo lançador municipal José China, vem reclamar perante V. Ex. contra o lançamento.
Com efeito, hoje, que como V. Ex. sabe, as oficinas de operários estão paralisadas por falta de trabalho, quase não se trabalha para com o produto se comer; a vida está dificílima, e nestas condições parece que o imposto deve diminuir, ou pelo menos deve ser conservado o lançamento anterior.
No exercício de 1900, como verá V. Ex. do documento junto, o suplicante pagou 25$000 do imposto de profissão de ferreiro, sendo já bastante elevado este imposto, e agora foi lançado em 50$000 o mesmo imposto fixo, além de 12$000 o imposto proporcional, de modo que foi o suplicante lançado em 62$000, mais 37$000 do que no exercício passado.
O suplicante trabalha só em sua oficina, não tem oficiais, não tem trabalho, parece portanto que não deve pagar imposto tão avultado. Assim reclama contra o lançamento feito e requer a V. Ex. se digne mandar que seja reduzido o lançamento para pagar o imposto igual ao que pagou no ano passado."

(Encontrado em um site sobre Direito na Internet)


video


Parcial da Árvore Genealógica de Alfonso Della Monica por Aldo Della Monica


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quando o saco já perdeu a elasticidade

    AI, ENTÃO..... você vai com a mulher à feira e está comentando sobre as atitudes do prefeitinho de São Paulo. Enquanto isso, a companh...