30 de julho de 2015

2014 Aventuras de um sexagenário fresco

 (minha primeira ida ao supermercado em nova condição)

Agora me lembro. Já passei por esta mesma ansiedade muito tempo atrás.

Pós adolescente, sonhava com o dia dos meus 18 anos, quando poderia ver filmes de adultos no cinema, pedir um cinzano falando com voz grossa e em alto e bom som no balcão do boteco e, principalmente, tirar a carteira de habilitação.

Diante do inevitável, nos últimos meses dos meus 59, uma ansiedade parecida àquela havia tomado conta dos meus desejos.
Esta porra de sinalização
é politicamente incorreta
ou não é ?!
(perdoem o porra , kkkk)

Finalmente !
Os deliciosos privilégios reservados à terceira idade chegaram !

Minha primeira saída como autêntico emancipado aos sessentinha foi aquela sempre enfadonha ida ao supermercado.
Não... não desta vez. Agora tudo seria novo; nada de tédio.

Aconteceu, então, meu primeiro momento de excitação:
Logo alí, na entrada do estacionamento, uma vaga redondinha me esperava.
No chão pintado de azul a redentora palavra: IDOSO. Haviam juntado também a imagem de um personagem curvado com uma bengalinha na mão.
Meu primeiro impulso, ( inconsciente - que fique bem claro),foi engatar a ré, pois me lembrei de que não faço uso daquele objeto que se assemelha a um guarda-chuva depenado.

Mas eu já tenho 60 ! - lembrei.

Estufei o peito, empinei o nariz e parti para meu primeiro procedimento como motorista em vaga de idoso.
Surpresa !
Dois carrinhos de supermercado haviam sido abandonados alí... estrategicamente.... de modo que eu não conseguiria estacionar o carro naquele playground de terceira idade.

Como nem tudo são flores, desci para liberar a área.

Eu não havia percebido que atrás do meu carro mal ajeitado, havia dois ou três automóveis com jovens e impacientes motoristas que, sem demora, começaram a buzinar freneticamente.

Agradecí emocionado!
Era a primeira saudação que eu recebia por ter acabado de chegar à melhor idade !

Aldo Della Monica


Francisco Petrônio canta "O Baile da Saudade"


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quando o saco já perdeu a elasticidade

    AI, ENTÃO..... você vai com a mulher à feira e está comentando sobre as atitudes do prefeitinho de São Paulo. Enquanto isso, a companh...