22 de março de 2001

Adeus, tia Carmo !




Existe, sim, uma dor maior que aquela da despedida definitiva de uma pessoa querida.
É a despedida adiada
A despedida pela perda que ainda não aconteceu
A despedida em vida

Quando a gente vai embora
Sabendo que, se houver volta, a pessoa não mais vai estar lá
As despedidas do dia-a-dia, são apenas saudações do ir e vir.
O verdadeiro despedir-se de alguém em vida
é um antecipar da partida inevitável.

E nessa incerteza do que já é certo
Sofrer duplamente a perda.

A perda ainda não consumada que nos exibe
frágeis e impotentes…
é aquela perda adiada e certa
que por certa, adiada e perda
acena com um sofrimento que ainda não sabemos qual é

Aldo Della Monica

22/03/2001

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quando o saco já perdeu a elasticidade

    AI, ENTÃO..... você vai com a mulher à feira e está comentando sobre as atitudes do prefeitinho de São Paulo. Enquanto isso, a companh...